Temer aumenta prazo para o parcelamento da dívida municipal com a Previdência

Com a garantia de parcelamento em até 200 meses e redução de 80% nos juros e 25% nas multas e encargos, o presidente da República, Michel Temer, assinou, nesta terça-feira, 16, a Medida Provisória (MP) da renegociação da dívida dos municípios com a Previdência Social. A medida é resultado de negociações entre o governo federal e lideranças municipalistas. Durante o IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS) o pleito ganhou força quando prefeitos da diretoria da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) elencaram ao chefe do Executivo e ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, temas de importância indiscutível diante da atual conjuntura econômica.

Segundo o prefeito de Campinas/SP, Jonas Donizete, presidente da FNP, o texto irá beneficiar mais de 3 mil municípios brasileiros, que estão em débito com a Previdência. Para o governante, a crise econômica trouxe um desequilíbrio nas contas dos municípios, que seguem com dificuldade em seus orçamentos. “Os municípios perderam receita e os cidadãos passaram a depender mais das prefeituras, seja na saúde, na educação ou na assistência social. O desemprego acabou fragilizando as pessoas”, destacou.

Pauta recorrente da FNP, o pacto federativo foi tema do discurso de Temer, quando destacou que a MP é um dos caminhos para “o fortalecimento da federação”. Na ocasião, o presidente da República agradeceu, pessoalmente, Jonas Donizette, pelo empenho da FNP na construção de um texto que atendesse a demanda dos municípios. “O que mais me agrada neste momento é que eu posso assinar essa Medida Provisória com parcelamento em 200 meses do débito previdenciário”, afirmou. O presidente da República destacou, também, a redução em 25% dos encargos, 25% das multas e 80% dos juros.

Primeiras parcelas – já nas primeiras audiências entre a diretoria da FNP e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, para avançar na construção MP, a entidade municipalista garantiu a redução no valor da entrada, que será paga ainda este ano. A proposta inicial do governo era uma entrada de 6%. “Conseguimos reduzir essas primeiras parcelas em, pelo menos, 50%”, explicou o prefeito Jonas Donizette.

Além do valor reduzido nas primeiras parcelas, em reuniões com a Receita Federal, a FNP garantiu a inclusão dos Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS) nas mesmas regras que beneficiarão os municípios. A solicitação da entidade, para que parcelamentos anteriores sejam incluídos nessa nova negociação, também foi atendida.

O documento foi assinado durante a XX Marcha dos Prefeitos a Brasília. O evento, promovido pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), reúne milhares de autoridades, como o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o vice-presidente do Senado Federal, Cássio Cunha Lima, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, além de ministros, parlamentares, prefeitos e vereadores. O presidente da ABRACAM – Associação Brasileira de Câmaras Municipais Rogério Rodrigues da Silva participa do evento.

De acordo com dados apresentados pela CNM, as condições da MP poderão representar um desconto de R$29,3 bilhões no total devido pelos municípios.

Por Revista VOX; FNP e foto de Hélio Montferre/FNP

Categories: Sem categoria

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Please enter easy facebook like box shortcode from settings > Easy Fcebook Likebox
Inline
Please enter easy facebook like box shortcode from settings > Easy Fcebook Likebox